sexta-feira, 21 de Março de 2014

primavera

A Primavera trouxe uma explosão de cores e cheiros ao nosso jardim. Bocas-de-lobo, jasmim, camélias, flores de abrunheiro, lírios e glicínias são um festim para os sentidos.








terça-feira, 4 de Março de 2014

faux taxidermy

A ideia para esta cabeça de veado surgiu em casa de uns amigos que têm um belo exemplar por cima da lareira, no Talasnal. Depois vi outro bonito exemplo aqui e lembrei-me das hastes que já tinha feito para o Gaspar usar na festa de Natal na escolinha. Procurei alguns moldes para a cabeça, mas não encontrei nenhum que gostasse mesmo, por isso inventei esta. Os tecidos usados sobraram da manta e das almofadas que fiz para esta cama, com retalhos de camisas usadas.





sábado, 1 de Março de 2014

flibusteiro de carnaval

Este ano o Gaspar quis um disfarce de Capitão Hadoque. Como é grande fã do Tintin ainda pensei que fosse esse o personagem que queria imitar. Já estava a pensar numa poupinha e numas peúgas por cima das calças, mas não, o que ele gosta mesmo é do flibusteiro do Hadoque, com mil milhões de macacos!

quarta-feira, 12 de Fevereiro de 2014

uma casa no lago

Quando chove muito, mesmo muito, é isto que acontece. O ribeiro que nos passa perto de casa é um afluente do Alviela, que é um afluente do Tejo. Quando o Tejo se espraia pela lezíria, o Alviela transborda e o nosso pequeno ribeiro, que no Verão fica seco, transforma-se num grande lago, mesmo do outro lado do muro. A casa fica a salvo porque está num plano mais elevado.





quinta-feira, 6 de Fevereiro de 2014

ilustrarte

A VI Bienal Internacional de Ilustração para a Infância vai estar no Museu da Electricidade, em Lisboa, até 13 de Abril. Passámos por lá no sábado, e, como sempre, saímos completamente inspirados. As três primeiras imagens são da retrospectiva de Chiara Carrer, a quarta é de Juan Pablo Villalpando, a quinta de João Vaz de Carvalho, a sexta de Bernardo Carvalho e a última de Harriet Russell.








quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

manta mundo

Mais uma mantinha para um bebé. A primeira nasceu aqui, a segunda aqui, e, como não há duas sem três, cá está a mais recente. Com pormenores de mapas de todo o mundo, para abrir horizontes ao pequeno André. Com o bocadinho de tecido que sobrou não resisti a fazer mais umas nuvens de alfazema. Uma é do André, as outras três são de quem as apanhar!