sexta-feira, 10 de abril de 2015

costuras

O resultado de um dia de chuva a rebentar pelas costuras. Há coisas para o Gaspar e coisas para o quarto de uma menina que ando a decorar. Depois mostro.



quarta-feira, 8 de abril de 2015

cegonha-branca

Viver há cinco anos no campo permite começar a perceber os padrões de comportamento de alguns animais. Fazer o registo fotográfico dos mesmos também ajuda, claro. Todos os anos, quando começa a Primavera, uma ou duas cegonhas-brancas escrutinam os campos aqui em redor. Como ainda restam algumas zonas de lameiro onde se alimentam os lagostins-vermelhos que se aventuram fora do ribeiro, há comida. Mas elas já sabem que este festim é temporário e por isso não fixam residência por perto. Afinal fazer um ninho que pode chegar até meia tonelada de peso deve dar uma trabalheira, mesmo com uns postes de alta tensão "convidativos" a escassas centenas de metros. 






quinta-feira, 19 de março de 2015

pai é:

Quem ensina a andar de skate, a levantar quando o rabo vai ao chão e a limpar as lágrimas quando o pé cai torto.





quarta-feira, 11 de março de 2015

o lobo bom, o lobo mau e o lobo chato


Em quase todas as histórias infantis há um lobo mau. O personagem ruim, vil, que faz asneiras, que causa enganos, que faz estragos e atrapalha é sempre o lobo mau. Mas havia um pequenino que, apesar de gostar de ouvir a mãe contar histórias todas as noites, antes de adormecer, tinha um pedido especial quando o enredo chegava ao lobo mau.
"Mamã, por favor não digas lobo mau que me faz ter pesadelos durante a noite", pedia ele. Então a mãe sugeriu que lhe chamassem lobo bom, mas o menino achou que isso seria um exagero. Afinal o bicho peludo não era nada simpático. Depois de pensarem bem no assunto acordaram em passar a tratar o lobo mau por lobo chato.
Um lobo tão chato, tão chato, tão chato que a Capuchinho, só para não ter que o ouvir, acabou por se enganar no caminho para casa da avó.
Um lobo tão chato, tão chato, tão chato que conseguiu levar os três porquinhos a juntarem-se à lareira em casa do porquinho mais velho a contar anedotas para se abstraírem daquele barulho que vinha lá de fora.
Um lobo tão chato, tão chato, tão chato que os sete cabritinhos resolveram enfiar-se na sua barriga porque era o único sítio onde não o conseguiam ouvir.
E assim foram contadas histórias noite após noite, até um dia o menino aprender a ler e a deixar de ter medo de lobos maus. Pode ser que este ano até vá ao Monstra!



terça-feira, 10 de março de 2015

sabão

Têm este ar apetitoso, mas não são de comer. São alguns exemplares da mais recente fornada de sabões caseiros de azeite e alfazema. O melhor sabão do mundo está de volta!




quinta-feira, 5 de março de 2015

indigo

Num mar de malmequeres surge esta pequena ilha indigo. Maravilhas da natureza.